Manter uma alimentação saudável

Quem sofre com dores crônicas como as famosas dores de coluna e a enxaqueca sabe o quanto a vida pode se tornar mais difícil com a presença destes males. Um remédio aqui e outro ali costumam ser as primeiras providências a serem tomadas. Mas, há outro fator de grande importância a ser avaliado pelos médicos: a boa alimentação.
Uma alimentação desequilibrada pode aumentar o processo inflamatório do paciente, piorando ainda mais o quadro de dor. “Alguns desses pacientes fazem uso de medicações fortes que podem causar prisão de ventre, por exemplo, mas um ajuste na alimentação pode melhorar esse quadro. A prisão de ventre piora o quadro, pois uma flora intestinal desequilibrada pode aumentar ainda mais o processo inflamatório e prejudicar a absorção de nutrientes fundamentais para ajudar a melhorar o quadro de dor”, explicou a nutricionista Mariana Froes, consultora do Suadieta.
De acordo com a especialista, é fundamental ter uma alimentação saudável antiinflamatória e com nutrientes que ajudem no relaxamento muscular, assim como a formação de serotonina, o neutrasmissor responsável pela sensação de bem estar. Alimentos como os folhosos verdes escuros, como a couve, arroz integral, aveia, semente de abóbora, castanhas e banana são ricos em magnésio, um relaxante muscular natural que não pode faltar na dieta. A carência deste nutriente também está associada à enxaqueca, tensão pré-menstrual e cãibras.
A nutricionista explica que a vitamina D também tem relação com as dores, já que estudos mostram que pessoas com deficiência dessa vitamina têm duas vezes mais chances de apresentar dores nas costas. “A melhor fonte de vitamina D é o sol sem protetor solar. Alguns minutos são suficientes”, diz Mariana.
Já o ômega 3 pode ser encontrado em peixes como cavala, salmão, sardinha e na linhaça, entre outros alimentos, por isso, é importante incluir estes itens na dieta. “Em alguns casos a suplementação é necessária, mas isso só um nutricionista capacitado pode avaliar”, afirmou. “A vitamina B também é importante e suas principais fontes são os vegetais, ovos, abacate e carnes”, completou.
Para Mariana Froes, a carência de certos alimentos pode ser prejudicial quando o organismo começa a apresentar um desequilíbrio. “As carências especificas de certos nutrientes podem ser avaliadas no próprio consultório. Isso é o que chamamos de sinais e sintomas que o paciente apresenta e que podem estar ligados à carência de um certo nutriente”, explica.
Os pacientes portadores de dores crônicas precisam evitar frituras, gorduras de má qualidade, farinhas brancas e alimentos refinados. “Esses alimentos são pobres em nutrientes e pioram o processo inflamatório desses pacientes, além de prejudicarem mais ainda o intestino”, conclui a nutricionista.

0 respostas

Deixe uma resposta

Quer participar da discussão?
Sinta-se à vontade para contribuir!

Deixe um comentário